Sala de Imprensa

Nota de Esclarecimento
Postado em 6 de abril, 2018

Belo Monte Transmissora de Energia – BMTE

 

Nota de Esclarecimento

 

A respeito das últimas notícias veiculadas pela imprensa na data de hoje, 06/04/2018, a Belo Monte Transmissora de Energia – BMTE informa que:

Na tarde de 21 de março de 2018 houve um desligamento do Bipolo 1 da BMTE quando o mesmo estava transmitindo 3.700 MW em processo de elevação da potência transmitida para o programado de 4.000 MW. Ocorre que para permitir transmitir energia da usina de Belo Monte para o Sistema Interligado Nacional (SIN) sem as instalações planejadas e que não se materializaram devido à liquidação judicial da ABENGOA, foi necessário operar em situação provisória conforme autorização da ANEEL e do ONS.

Sobre a autorização provisória:

  • A integração da usina de Belo Monte ao Sistema Interligado Nacional (SIN) ocorreu sem a expansão prevista do sistema de transmissão em corrente alternada devido liquidação ABENGOA.
  • MME e ANEEL solicitaram BMTE para efetuar parte das instalações ABENGOA.
  • Resolução Autorizativa 6262 de 28-03-18 da ANEEL autoriza BMTE para implantar barramento de interligação entre SE Xingu e Conversora BMTE em Xingu – Contrato de concessão 014-2014.
  • ABENGOA embargou a obra na justiça retardando seu início.
  • Para permitir que o Bipolo pudesse entrar em operação em final de 2017, a BMTE propôs solução temporária operando-se entre dezembro 2017 e final março de 2018 com apenas uma barra.
  • Assim a conexão entre a SE Xingu e a conversora foi feita por barramento singelo com risco de desligamento por falha simples – que era a situação operativa no dia desligamento.
  • ONS E ANEEL sabiam que até a entrada das duas barras (abril 2018) a BMTE estaria em situação provisória.
  • A BMTE informou para a ANEEL e ONS pela carta BMTE-CD-DT-01 04/2017 indicando as etapas de implementação e o risco operacional desta solução provisória.
  • O ONS pela Carta ONS-0388/200/2017 de 06/junho/2017, reconhece:
  1. Sobre os aspectos apontados pela BMTE em sua correspondência quanto às obras na SE Xingu, o ONS entende que a mesma é vantajosa para a operação do sistema, pois possibilitará a entrada em operação do 1º bipolo de Belo Monte na data contratual, ou eventualmente com alguma antecipação, o que é extremamente benéfico para as atuais condições energéticas do SIM. Julga-se relevante também destacar os seguintes aspectos:

4.1   Não são observadas restrições para a operação da SE 500 kV Xingu com barramento singelo considerando a análise de operação em regime normal e análise de contingência simples de equipamentos dessa SE. Contudo, deve-se destacar que, neste período, a perda simples de equipamentos existentes na SE seguida de falha de disjuntor e atuação da proteção para essa falha poderá resultar no desligamento da barra e consequente desligamento do bipolo 1 de belo monte

Sobre o projeto e os testes do sistema de proteção:

  • De modo a garantir a máxima exploração dos recursos energéticos diante das possíveis contingências internas ao bipolo Xingu-Estreito e de contingências externas nos sistemas CA (sistemas terminais do sistema CCAT e da interligação norte-sudeste), foi definido um sistema especial de proteção (SEP), definido pelo ONS com base nos estudos pré-operacionais para integração do bipolo Xingu – Estreito ao sistema Interligado Nacional.
  • Devido a situação provisória sem o sistema da ABENGOA e para viabilizar a conexão das primeiras unidades geradoras da UHE BELO MONTE, minimizando as restrições de despacho nesta usina, foram definidas pelo ONS ações complementares de controle e proteção sistêmica, baseadas no sistema especial de proteção – SEP.
  • A BMTE desenvolveu o SEP e, em dezembro/2017 foram iniciados os testes de campo das cinco lógicas estabelecidas pelo ONS para compor o SEP – com testes realizados em potências inferiores a 2.000MW (devido e restrições do SIN), os quais após diversas modificações sugeridas pelo ONS para implementação, foram considerados concluídos.
  • Posteriormente, em 06 de fevereiro de 2018 em reunião entre o ONS e a BMTE discutiu-se algumas novas modificações recomendadas pelo próprio ONS a serem implementadas nos cinco circuitos lógicos já testados em campo, de forma a prover aperfeiçoamentos do SEP.
  • Esses aperfeiçoamentos foram implementados pela BMTE e testados em Simulador do Sistema do próprio ONS.
  • Os testes de campo foram então executados cumprindo todos os itens da lista de testes definidos pelo ONS e concluídos com sucesso em 19/03/2018. O bipolo, então, foi disponibilizado para operar ao nível de 4.000 MW.
  • Para execução desses testes o próprio ONS determinou que as lógicas fossem testadas com nível de transmissão de 1.000MW. Portanto os testes não foram feitos com nível de 4.000MW.  Caso tivéssemos testado com 4.000 MW esse evento ocorrido em 21/03 teria sido detectado.

Sobre o ocorrido no dia do desligamento:

  • O desligamento sucedido em 21/03/2018 foi iniciado pelo desligamento do disjuntor de interligação de barras entre a SE da LXTE e a da BMTE.  Tal disjuntor tinha proteção de sobrecorrente limitativa que impediu o fluxo de 4.000 MW. Porém, o mesmo teria ocorrido se tivéssemos tido um curto na barra de 500 kV da nossa Conversora ou na barra de 500 kV da SE Xingu da LXTE devido a condição provisória da interligação.
  • O ajuste equivocado na proteção do disjuntor teria sido detectado no teste feito 19/03 caso os testes tivessem sido feitos com a potência de 4.000MW – na realidade descobrir esses tipos de problemas em instalações recém construídas é exatamente o objetivo de testes.
  • O que realmente causou esse desligamento foi a condição provisória da interligação entre a Conversora e a SE Xingu devido à falta das instalações da ATE XXI que obrigaram implantar uma instalação provisória, que vem cumprindo com seus objetivos, mas que implicou em riscos adicionais que foram previstos e expressados pela BMTE na carta BMTE-DT 0106/2017 e pelo ONS na carta ONS-388/200/2017, já citadas acima.
  • Sobre o funcionamento do sistema de controle SEP – o mesmo funcionou conforme projetado, o que foi comprovado por testes de simulador e de campo, dentro das fronteiras definidas pelo ONS.
  • Nas lógicas usadas para desenvolver seu projeto e na concepção do caderno de testes do SEP, não existia o evento de perda total da ligação entre o pátio de 500 kV da BMTE e a SE XINGU que interliga a usina de Belo Monte, ocorrida no dia do desligamento devido a operar em situação provisória.
  • A topologia do sistema, em operação no momento do desligamento, era muito degradada em relação a rede completa que seria aquela com a entrada das instalações de todos os agentes e que não se materializaram. Portanto, estamos trabalhando com uma situação que equivale a maiores riscos de contingências do que o planejado.
Leia Mais

ESCLARECIMENTO SOBRE O DESLIGAMENTO OCORRIDO NO ULTIMO DIA 21 DE MARÇO DE 2018.
Postado em 23 de março, 2018

BELO MONTE TRANSMISSORA DE ENERGIA – BMTE
ESCLARECIMENTO SOBRE O DESLIGAMENTO OCORRIDO NO ULTIMO DIA 21 DE MARÇO DE 2018.

A respeito das últimas notícias veiculadas pela imprensa, sobre diversos aspectos que envolvem o desligamento das instalações de transmissão – (UHVDC), a BMTE informa que:

1. Na tarde de 21 de março de 2018 houve um desligamento do Bipolo 1 da BMTE quando o mesmo estava transmitindo 3.700 MW em processo de elevação da potência transmitida para o programado de 4.000 MW. Este desligamento está sob análise da área técnica da BMTE. Informações preliminares indicam que a causa do desligamento foi o mal funcionamento da proteção do disjuntor da barra que interliga o pátio de 500 kV da Estação Conversora de Xingu ao pátio de 500 kV da Subestação que recebe as linhas de transmissão que trazem energia da usina. Com a abertura desse disjuntor houve interrupção do fluxo de energia da usina para a estação conversora o que foi detectado pelo sistema de proteção da conversora e seu correspondente desligamento.

2. Não houve falha de equipamento. Houve operação indevida da proteção por ajuste da mesma. O equipamento em questão é um disjuntor de 500 kV, idêntico a milhares em operação em várias instalações no Brasil e no mundo. Todos os equipamentos são novos, de ultima geração e comprados pela BMTE de um dos mais renomados fabricantes mundiais.

3. Não houve qualquer defeito nas linhas de transmissão em corrente contínua nem nas duas estações conversoras de corrente alternada para contínua e vice-versa.

4. O Bipolo 1 foi desligado às 15:48h e após as verificações nos locais apropriados o Bipolo (Linha de transmissão e ambas Conversoras) foi disponibilizado ao sistema para operação às 16:11hm e está operando normalmente.

5. Em qualquer empreendimento novo do setor elétrico as regras estabelecem um período de 06 (seis) meses a partir da data de início da operação comercial para ajustes e testes sem penalização financeira. As instalações da BMTE tiveram sua entrada em operação comercial no dia 12/12/2017.

6. A Belo Monte Transmissora de Energia (BMTE) é uma empresa brasileira – Sociedade de Propósito Específico (SPE), fundada em 15 de abril de 2014 e composta pela State Grid Brazil Holding, que detém participação de 51%; e pelas brasileiras – subsidiárias da Eletrobras – Furnas e Eletronorte, com 24,5% cada. A empresa foi constituída para construir, operar e manter, durante o período de concessão de 30 anos estabelecido pela Aneel, a Linha de Transmissão de Corrente Contínua em Ultra-Alta Tensão (UHVDC) de ±800 kVCC Xingu (PA) – Estreito (MG), as Estações Conversoras de Xingu e de Estreito de 4.000 MW e Instalações Associadas ao seu pleno funcionamento.

A Belo Monte Transmissora de Energia reitera seu compromisso com a sociedade brasileira através do esforço continuo estabelecendo altos padrões de qualidade e disponibilidade de serviço.

Leia Mais

Belo Monte Transmissora de Energia, realizou no dia 21 de dezembro de 2017 em Ibiraci- MG, a cerimônia de inauguração da primeira linha de transmissão de energia de ±800 kV UHVDC – Ultrahigh-Voltage Direct Current – da América Latina.
Postado em 26 de dezembro, 2017

O evento realizado na estação conversora de Estreito em Ibiraci – MG, contou com a presença em tempo real, através de vídeo, do presidente da State Grid Corporation of China, Shu Yinbiao, que discursou direto da China. Também estiveram  presentes o presidente da State Grid Brazil Holding, Cai Hongxian, os ministros de Minas e Energia Fernando Coelho Filho, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, o presidente da Eletrobras Wilson Ferreira Júnior,  o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Eduardo Barata, o embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang, o presidente da Belo Monte Transmissora de Energia, Chang Zhongjiao, o presidente de Furnas, Ricardo Medeiros, e o Diretor Econômico-Financeiro da Eletronorte, Antonio Barra, além de outras autoridades.

Com investimento na ordem de R$ 5 bilhões, a Linha de Transmissão ±800 kV UHVDC Xingu-Estreito – Bipolo1 tem extensão de 2.076 km, iniciando no Pará, (PA), atravessando Tocantins (TO) e Goiás (GO) até chegar ao sul de Minas Gerais (MG).

Passando por 70 municípios, o projeto engloba a Linha de Transmissão Corrente Contínua (CC) ±800 kVCC Xingu-Estreito – Bipolo1 –, duas Estações Conversoras CA/CC de capacidade de 4.000 MW, dois eletrodos de terra e suas respectivas linhas de transmissão, com 36 Km no Pará e 72Km predominantemente no estado de São Paulo, seis estações repetidoras de telecomunicações e sete centros de manutenção, entre outras instalações associadas.

O empreendimento que entrou em operação no dia 12 de dezembro de 2017, beneficia 22 milhões de pessoas, reforça e proporciona maior segurança ao Sistema Interligado Nacional (SIN) além de ser mais econômico para a transmissão de grandes quantidades de energia ponto-a-ponto a grandes distâncias.

Leia Mais

Primeiro bipolo de transmissão de ±800 kV UHVDC entra em operação com dois meses de antecedência
Postado em 14 de dezembro, 2017

Entrou em operação no dia 12 de dezembro de 2017, a primeira linha de transmissão de energia de ±800 kV UHVDC – Ultrahigh-Voltage Direct Current – da América Latina, que escoa a energia gerada pela usina de Belo Monte no Pará ao Sistema Interligado Nacional (SIN), na região Sudeste. O empreendimento entra em operação com dois meses de antecedência do prazo estipulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel, beneficiando o país aumentando a oferta de energia em pleno verão, quando ocorre o pico da demanda.

Com investimento na ordem de R$ 5 bilhões, a Linha de Transmissão ±800 kV UHVDC Xingu-Estreito – Bipolo1 tem extensão de 2.076 km, iniciando no Pará, (PA), atravessando Tocantins (TO) e Goiás (GO) até chegar ao sul de Minas Gerais (MG) passando por 70 municípios. O projeto engloba ainda duas estações conversoras de capacidades 4000 MW, dois eletrodos de terra e suas respectivas linhas de transmissão com 36km no estado do Pará e 72 km predominantemente no estado de São Paulo, seis estações repetidoras de telecomunicações e sete centros de manutenção, entre outras instalações associadas.

A sociedade de propósito específico Belo Monte Transmissora de Energia (BMTE), formada por State Grid Brazil Holding (51 por cento), Furnas Centrais Elétricas (24,5 por cento) e Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. Eletronorte (24,5 por cento), foi a responsável pela construção do empreendimento.

Fotos

Leia Mais

Belo Monte Transmissora inicia montagem da primeira linha de Ultra Alta Tensão
Postado em 14 de junho, 2016

Crédito: BMTE – Estreito – Via de Transferência

O Brasil iniciou a montagem da primeira linha de Ultra Alta Tensão que escoará energia da usina hidrelétrica de Belo Monte (11.233 MW) aos grandes centros de consumo de energia do país.  As estruturas do Linhão de Corrente Contínua entre Xingu (PA) – Estreito (MG), formarão a primeira linha do país na tensão de 800 kV, totalizando  2.087 quilômetros de extensão.

O projeto, com características com poucos precedentes no mundo, está sendo construído em oito trechos. Com cerca de 2.200 empregados, as obras estão em plena atividade e o processo fundiário está praticamente concluído. A Estação Conversora de Xingu conta com 403 funcionários que já concluíram as obras de terraplenagem e as obras civis já estão em andamento. Já na estação de Estreito foi iniciada a concretagem das bases dos transformadores e está na fase de montagem das estruturas para a casa de válvulas. Nessa fase trabalham cerca de 180 empregados.

A previsão para entrada em operação é fevereiro de 2018, com esforços para antecipação de conclusão para dezembro de 2017 para não restringir o escoamento da energia gerada na usina hidrelétrica de Belo Monte.

O consórcio de Belo Monte Transmissora de Energia, State Grid (51%), Furnas (24,5%) e Eletronorte (24,5%), recebe acompanhamento quinzenal pelas equipes técnicas do Ministério de Minas e Energia (MME), Agencia Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS)

Continue lendo aqui

Leia Mais
Categorias